ArcelorMittal Aços Longos
  • Tamanho da fonte:
  • Aumentar fonte
  • |
  • Tamanho normal da fonte
  • |
  • Diminuir fonte
Imprimir   Adicionar aos favoritos   Envie esta página

A Belgo e a Guerra

História da ArcelorMittal Aços Longos:


Inauguração do laminador Krupp Com o crescimento e a diversificação da usina de Monlevade, a partir de 1937 até 1946, quando a CSN entrou em funcionamento, a Belgo respondia sozinha por 49% do aço produzido no país, fabricando produtos que iam de vergalhões para construção civil, arames, pregos e parafusos a ligas especiais de aço.

Durante a Segunda Guerra Mundial, e especialmente após o Brasil entrar diretamente no conflito, em 1942, a Belgo foi convocada para participar do esforço de guerra e produzir os trilhos necessários à manutenção e à ampliação da malha ferroviária brasileira e que até aquele momento, nunca haviam sido produzidos no país.

Foi construído um laminador especial (foto abaixo), em parceria com o Arsenal da Marinha Brasileira, que possuía instalações de usinagem no Rio de Janeiro. A produção do primeiro trilho se deu em 1943 – era o primeiro na história do Brasil e da América Latina.

Os trilhos produzidos pela Belgo serviram ao reparo das linhas férreas existentes e, após o término da guerra, foram utilizados para a construção de uma linha entre Corumbá, no Mato Grosso, e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, além de servirem à implantação de uma linha de bondes, entre o centro da cidade de Belo Horizonte e o bairro da Pampulha.

A Belgo também produziu, durante a guerra, barras quadradas para que o Exército fizesse obuses que seguiram para Europa e serviram ao combate brasileiro.

Entre em contato através do 0800 015 1221
Design Foster Copyright 2012 - ArcelorMittal Aços Longos

Siderúrgica produtora de aços longos, laminados e trefilados para indústria e construção civil