Belgo Arames
Publicado por: Belgo Arames
Geossintéticos aplicados à engenharia civil: por que usar essa tecnologia?

Os geossintéticos aplicados à engenharia civil têm ficado cada vez mais comuns. Apesar de não ser uma tecnologia recente, o emprego deles no setor está se popularizando nos últimos anos por causa dos muitos benefícios que esses componentes conseguem proporcionar.

Neste conteúdo, vamos falar mais sobre as suas vantagens e como essa ferramenta é usada, na prática. Também explicaremos porque vale a pena aplicá-la em obras de geotecnia, destacando alguns dos seus benefícios.

Fique conosco e entenda a importância dos geossintéticos na engenharia!

Como os geossintéticos são utilizados na construção civil?

Esse recurso consiste em componentes industrializados compostos por polímeros artificiais ou naturais, constituídos de forma parcial ou completa. Embora tenham sido criados para, inicialmente, serem empregados no reforço do solo, hoje, são cada vez mais usados em diferentes fases da geotecnia, como:

  • drenagem;
  • filtração;
  • separação;
  • impermeabilização;
  • controle de erosão.

Para isso, há diferentes tipos de geossintéticos que podem desempenhar um ou mais papéis. Confira a sua classificação:

  • tecidos: são feitos de filamentos cortados ou extrudados com fios dispostos em ângulos retos entre si. Nessa composição, há uma uniformidade contínua na distribuição de poros;
  • tricotados: são confeccionados a partir de filamentos entrelaçados;
  • outros: envolvem componentes constituídos por meio da ligação de fibras cortadas ou fios contínuos, em uma organização aleatória ou direcional, em um tecido solto. Esse processo pode ser realizado por meio de métodos químicos, mecânicos ou térmicos.

Confira, a seguir, alguns dos geossintéticos mais usados e as suas funções!

Geotêxteis

São componentes bastantes empregados na engenharia e consistem em malhas constituídas de fios ou fibras permeáveis e maleáveis, mais comumente de poliéster ou polipropileno (PP). São muito aplicados para proteger, filtrar e drenar o solo, entre outras etapas geotécnicas.

Geogrelhas

São elementos extrudados de polipropileno, poliéster ou poliacetato de vinila (PVA). Eles são capazes de aumentar a resistência do solo, pois apresentam uma melhor ancoragem e maior interação com o meio de aplicação devido ao contato do solo aterrado. Mas isso pode variar conforme as características da geogrelha e as propriedades mecânicas do solo.

Geomembranas

Consistem em mantas maleáveis e contínuas feitas, parcial ou totalmente, de componentes sintéticos. Apresentam permeabilidade reduzida e, por essa razão, costumam ser empregadas como obstáculos para barrar líquidos, substâncias, vapores e gases. Desse modo, a engenharia civil as utiliza em diques, canais de irrigação, lagoas de armazenagem e impermeabilização de tetos e lajes.

Georredes

Formadas por um par de séries de membros paralelos e extrudados, que se encontram em um ângulo constante, as georredes apresentam uma elevada porosidade, por isso, são empregadas para direcionar vazões mais intensas de gases ou fluidos.

É comum o seu uso entre duas geomembranas ou dois geotêxteis, ou, então, em uma estrutura formada por um geotêxtil e uma geomembrana, com a georrede no centro. Essa estruturação consegue impedir a obstrução de seus canais por resíduos ou solo.

Geocompostos

São produzidos com a mistura de dois geossintéticos — como geogrelha e geotêxtil, ou georrede e geotêxtil. Eles são eficazes para barrar gases e líquidos e bastante aplicados em aterros sanitários, junto de geomembranas.

Geoexpandidos

São blocos fabricados ao expandir a espuma do poliestireno, assim, é possível compor uma matéria-prima de densidade menor. Na engenharia, eles são muito implementados como isolantes térmicos, para a redução de pressão em solos rígidos ou em aterros de solo.

Geotubos

Esses itens são tubos perfurados constituídos de polímero que são aplicados para drenar gases e líquidos, como gases em aterros e coleta de chorume. Em algumas situações, o tubo pode ser revestido por um instrumento de filtragem feito com geotêxtil.

Como os geossintéticos são usados no Brasil?

O Brasil, apesar de ter avançado no emprego dos geossintéticos, ainda faz uma utilização discreta deles. Os geotêxteis são os mais aplicados por aqui desde o início da implementação desses materiais, o que já faz cerca de 40 anos.

Os primeiros projetos em que tais materiais foram aplicados foram desenvolvidos de modo mais conservador, com o conhecimento da época. Atualmente, no entanto, podem ser constatadas obras mais arrojadas na implementação desses recursos.

É normal o uso de uma nova técnica aumentar quando são descobertas as vantagens dela para um setor, no entanto, as pesquisas sobre o tema não conseguem acompanhar esse uso crescente. É o que tem ocorrido no Brasil em relação aos geossintéticos.

Por que vale a pena usar os geossintéticos nas obras de geotecnia?

Os geossintéticos são ideais para aplicar teorias essenciais da engenharia, como a concepção do Solo Reforçado.

O uso desses componentes possibilita superar várias adversidades da engenharia. É possível ressaltar, por exemplo, o seu emprego em obras sobre solos mais delicados, sem a rigidez necessária para manter as estruturas seguras. Desse modo, os geossintéticos se mostram como recursos efetivos para suprimir a instabilidade dos solos.

Além disso, eles são uma solução efetiva nas seguintes atividades:

  • revestir canais;
  • tratar efluentes;
  • controlar erosões;
  • reforçar estruturas;
  • impermeabilizar os solos;
  • estabilizar pisos, pavimentos e solos.

Geossintéticos em geotecnia e meio ambiente são temas bastante relacionados, afinal, essa solução é uma forma de economizar recursos naturais e reduzir problemas ambientais referente à extração deles.

Quais são as vantagens dos geossintéticos?

O Brasil tem empregado cada vez mais esses componentes, a fim de elevar a produtividade, reduzir resíduos, economizar materiais, entre outras vantagens. É possível, ainda, obter outros benefícios, como:

  • mais economia de matéria-prima;
  • melhor controle das propriedades mecânicas;
  • menos tempo para erigir as obras;
  • diminuição de gastos de geossintéticos;
  • melhora na qualidade das atividades de geotecnia;
  • aprimoramento na metodologia dos projetos;
  • facilidade para realizar o transporte;
  • valor mais competitivo, se comparado às técnicas convencionais de engenharia;
  • melhor gestão de uso dos recursos naturais;
  • soluções de engenharia menos nocivas ao meio ambiente;
  • mais segurança relacionada ao Estado Limite Último (ELU) e ao Estado Limite de Serviço (ELS), aspectos de segurança importantes, fundamentados pela regra da ABNT NBR 6118:2014 — norma responsável por estabelecer critérios para estruturas de concreto.

Como vimos, os geossintéticos aplicados à engenharia civil apresentam diversos benefícios e motivos que confirmam como é vantajoso empregá-los nas atividades geotécnicas. Há vários tipos deles, tornando-os bastante versáteis, e é possível solucionar uma variedade de problemas antigos dos projetos de engenharia por meio da sua aplicação.

Quer continuar aprendendo sobre o tema? Então, conheça mais sobre os geossintéticos e as suas funcionalidades!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

    Últimos artigos

    Skip to content